Belmonte, Projeto Pôr Do Sol

BELMONTE- O CREPÚSCULO MAIS BONITO DO BRASIL

A Princesinha do Extremo Sul da Bahia. Segundo o saudoso Escritor Baiano “Jorge Amado”.

Localizado numa planície entre o rio Jequitinhonha e o oceano Atlântico. Belmonte resplandeceu no período rico do ciclo do cacau, no final do século XIX.

Alguns casarões coloniais testemunham os bons tempos de Belmonte, época em atracavam Navios que saiam carregados de cacau e piaçava e iam para Ilhéus que exportava para Europa.

Belmonte se orgulha de suas tradições, de sua memória, do seu patrimônio cultural,
entre eles a cultura da arte musical representada por duas Filarmônica centenárias, a Quinze de Setembro e a Lyra Popular. Terra de Sosígenes Marinho Costa, foi poeta, cronista, jornalista e professor, participou da Academia dos Rebeldes, amigo do romancista baiano Jorge Amado. Cidade de Zanine Caldas, designer, maquetista, entre elas se destaca o estádio do Maracanã, paisagista, urbanista. Foi pioneiro ao usar material de demolição. Conta com a
histórica Paróquia Nossa Senhora do Carmo , que completou 304 anos e padroeira da cidade.

Este município possui uma beleza natural ímpar. Bem na foz do rio Jequitinhonha, circunscrito em sua bela geografia existem manguezais de rara beleza.

Belmonte atualmente é conhecida como a “Capital do Guaiamum”, nome dado a uma espécie de caranguejo – saborosa iguaria regional – bastante encontrado na região.

Também possui um Farol, construído pela mesma empresa que construiu a Torre Eiffel,
encomendado em 1892, tem 35 metros de altura e é o maior em estrutura metálica do Brasil.

E entre a Foz do Rio Jequitinhonha e a Luz que Brilha do Farol de Belmonte, está o Pôr do Sol, considerado um dos Crepúsculo mais bonito do Brasil, ao som de Bolero de Ravel.

Venham se apaixonar!

Este projeto foi inspirado num lugarejo paraibano denominado, Praia do Jacaré, distante 14 Km do centro da capital paraibana, João Pessoa, onde há 20 anos, um casal por um francês e uma paraibana, abriram um pequeno restaurante à beira do rio onde cultivaram o hábito de escutar Bolero de Ravel ao pôr do sol.
Tempos depois este casal teve a ideia de compartilhar este hábito, contratando um saxofonista para juntos aos seus clientes e amigos contemplarem diariamente ás dezessete horas, o Por do Sol ouvindo o Bolero de Ravel.

COMO?
A contemplação do Pôr do Sol ao som de Bolero de Ravel ,na orla do Rio Jequitinhonha,conhecida pela comunidade como avenida Beira Rio,poderá ser apreciada diariamente, através da colocação de caixas de som na orla e, presencialmente aos sábados com caixa e instrumentos de sopros tocados por músicos da cidade. Após o Pôr do Sol teremos apresentação de atividades culturais aos turista ,assim como artesanatos locais.

Deixe uma resposta